Libertá – Unconventional Italian Kitchen

No restaurante Libertá em Lisboa, a tradição italiana encontra-se com a irreverência que traz a autenticidade para o prato. E esta é verdadeiramente uma “Unconventional Italian Kitchen”, uma cozinha contemporânea e pouco convencional, gerida pela criatividade do chef italiano Silvio Armanni, que trabalha produtos de excelência num ambiente descontraído e cool.

O Libertà é o primeiro espaço físico do colectivo de cozinhas Lisbon Street Kitchen (LSK). O foco está na qualidade do produto e numa política de desperdício mínimo que é uma das pedras basilares do grupo. Silvio Armanni quis um menu carregado de comida italiana autêntica, com vários clássicos aos quais se juntam pratos com uma visão mais fresca e jovem, sempre respeitando o produto italiano de origem “Quando se tem um restaurante italiano fora de Itália tem-se um grande desafio nas mãos, é preciso olhar para os clássicos, claro, explorar a autenticidade e usar sempre o melhor produto”, explica o chef italiano que esteve quase oito anos na Ásia dividido entre Xangai, Tóquio — aqui com o estrelado Luca Fantin — e Hong Kong, onde ganhou uma estrela Michelin à frente do restaurante Octavium em 2019, distinção que manteve no ano seguinte. “A comida é sobre fazer as pessoas felizes, este é um restaurante sem peneiras onde os clientes podem vir e sentir valor da comida. Estamos cá para oferecer qualidade acima de tudo.

A pasta fresca, feita cuidadosamente pelo chef no restaurante, ocupa um lugar de destaque na carta do Libertà. Na lista, salta à vista o Casoncelli alla Bergamasca, um prato de conforto típico de Bérgamo, onde o chef nasceu, feito com ravioli recheados com carnes, pancetta crocante, sálvia, manteiga e parmesão. Também não podia faltar o tradicional Spaguetti al Pomodoro, que pode ser servido com burrata, ou o Tagliatelle di Coniglio alla Genovese com ragu de coelho, azeitonas, pinhões e tomilho. Para uma escolha mais leve e elegante, destaca-se do menu o Cavatelli ai Frutti di Mare, confeccionado com camarões, lulas, mexilhões e peixe do dia.

Os Secondi dividem-se entre o Duo di Manzo – Bife de Lombo dos Açores com rabo de boi estufado em ameixas, acelgas e polenta e o Branzino com Purée di Sedano Rapa – Robalo selvagem com puré de raíz de aipo, espinafres e óleo de peixe e funcho. Silvio faz questão de usar peixes selvagens de forma a garantir não só o sabor, como

também o respeito pelo meio-ambiente. Há ainda dois pratos feitos a pensar na partilha entre duas pessoas: a Cotoletta a la Milanese – costeleta de vitela panada com batatas assadas, maionese caseira e salada, e o Carré di Maiale Ibérico – Carré de Porco Assado, cozinhado lentamente e servido com chalotas confitadas, batatas e legumes.

No menu, para começar a experiência, não ficam esquecidos os antipasti nem os cicchetti. As atenções vão-se dividindo entre a Bruschetta em pão alentejano da Gleba com beringela agridoce e manjericão, a Focaccia Farcita, com burrata e mortadela de pistacho, ou a Focaccia di Recco, muito fina e recheada com queijo stracchino. Para as entradas, Silvio voltou a olhar para as raízes para criar o Tartare di Manzo, bife tártaro com stracciatella de búfala, tomate seco e vinagre balsâmico. Há ainda o Fritto Misto, um tempura de camarão, lulas e legumes, e o Crudo di Ricciola – lírio cru marinado com salada de funcho e laranja e molho de mel e laranja.

Para rematar, é possível escolher de entre uma tríade de sobremesas o Tiramisu “Bomba”, feito com biscoito savoiardi caseiro, o Canollo Siciliano recheado com ricotta de ovelha doce com pedaços de pistacho e chocolate, ou a Crema Tenera al Cioccolato e Pere, uma mousse feita sem açúcar com chocolate 72%, pedaços de pêra e raspas de laranja.

Além da ementa, o espaço, de paredes escuras e à média luz, põe a jogo a simplicidade e a sofisticação através de pequenos detalhes — um deles são as espigas de trigo vindas de Itália que pendem do tecto em todo o restaurante, uma referência às origens e aos extensos campos de cereais que são a base da gastronomia italiana. Ao balcão existem alguns lugares para quem quer provar os cocktails da carta – Negroni, Spritz, Amaretto Sour ou Sgroppino, e os de assinatura como o Libertà Mule.

Mais info: www.liberta.kitchen

By Carla Branco

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: